quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Conselheiro da ‘vacina pra cavalo’ desdiz Dilma



Conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerias, Sylo Costa tornou-se personagem involuntário do vale-tudo em que se converteu a sucessão presidencial. Em artigo veiculado no diário mineiro O Tempo, ele revelou o seu espanto: “Quase caí da poltrona durante o debate do último domingo, quando ouvi dona Dilma, com ar triunfal, declarar que eu teria dito, na qualidade de relator das contas do então governador Aécio Neves, que vacina para cavalo foi contabilizada como despesa de saúde.”

A frase de Sylo foi evocada por Dilma no debate da tevê Record como reforço para a acusação que vem fazendo há semanas de que Aécio “desviou” verbas da saúde à época em que governou Minas Gerais. “O que ela pretendeu fazer – como de hábito, aliás – foi manipular os fatos, numa tentativa de atacar seu adversário”, ralhou o dono do comentário que a candidata do PT convertera em munição.

O que parecia uma bala de prata virou no artigo de Sylo um cartucho de festim: “Como relator, orientado por minha assessoria, mandei retirar da conta da Secretaria de Saúde uma fatura de compra de vacinas sem especificação e lançá-la na conta da Secretaria de Agricultura, erro material que não afetava o cumprimento do índice constitucional da saúde. Tanto que me posicionei pela aprovação das contas.”

O ex-conselheiro prosseguiu: “O parecer prévio sobre as contas do governador foi aprovado por unanimidade. Posteriormente, recebi da Secretaria de Agricultura a informação de que a compra das vacinas era mesmo para a saúde, já que se tratava de vacinas contra aftosa para experimentos da Fundação Ezequiel Dias.”

“Foi esse pequeno erro material que dona Dilma citou como se fosse um assunto tão grave como os assaltos do seu governo na Petrobras e em quase tudo o que o governo federal mete o nariz. Parece coisa de gente que se faz de louca…”, escreveu o ex-conselheiro no arremate do artigo. “O Brasil vai ter que trabalhar uns 20 anos para pagar a conta desses governos do PT. Mas, no domingo, milhões de tucanos ou apartidários como eu estarão enchendo as urnas para o bem do Brasil.”

Por mal dos pecados, a marquetagem de Dilma forneceu-lhe como arma anti-Aécio a frase de um eleitor do tucano. Em política, esperteza em excesso costuma engolir o dono.

A verdade dos fatos…


Youssef afirma que nunca negociou com Sérgio Guerra ou com o PSDB. Quem inventou esta história?


O advogado Antônio Figueiredo Basto, que defende o doleiro Alberto Youssef, afirmou ao G1que apresentou à Justiça Federal, na tarde desta quarta-feira (22), um pedido de acareação entre o seu cliente e Leonardo Meirelles, outro réu da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF). Ele nega que Youssef tenha negociado com Sérgio Guerra, ex-presidente nacional do PSDB que morreu em março deste ano, ou outro político do partido, conforme apontou Meirelles no depoimento prestado na segunda-feira (20) na Justiça Federal do Paraná, em Curitiba.

Leonardo Meirelles é considerado o testa de ferro de Youssef, com o cargo de diretor-presidente do laboratório Labogem. A Justiça Federal confirmou o pedido de acareação, mas o juiz Sergio Moro ainda não se pronunciou se aceita ou não a solicitação. “Meu cliente desafia qualquer pessoa a provar uma relação dele com o Sérgio Guerra ou qualquer outra pessoa do PSDB.

A colaboração dele [Youssef] é apartidária, não quer prejudicar ninguém. A colaboração toda está sendo feita baseada em documentos, que corroboram os indícios do que ele está dizendo. Estamos tentando evitar de qualquer maneira dizer qualquer coisa pelo ‘ouvi dizer’ ou sem prova, para que não se impute inocente ou se diga leviandade, atribuindo algo a inocentes”, afirmou Basto.

Na segunda-feira, cinco acusados de crimes de lavagem de dinheiro e de pertinência a grupo criminoso participaram de uma audiência de interrogatório na Justiça Federal em Curitiba. Eles são réus em processos decorrentes da Operação Lava Jato. Neste processo, são investigados crimes de lavagem de produto de desvios de recursos públicos da Petrobras.

Fonte: O Globo

PT QUER SE VINGAR DO JUIZ QUE DETONOU O PETROLÃO



A começar pelo presidente do PT, Rui Falcão, que espuma de raiva quando se refere ao juiz federal Sérgio Moro, aquele que desmantelou o esquema de corrupção instalado na Petrobras em 2006, no governo Lula, até metade do governo Dilma, o PT decidiu representar contra o magistrado no Conselho Nacional de Justiça. As críticas a Moro já foram rechaçadas por entidades de magistrados e de procuradores.

O PT acusa Moro de “vazar depoimentos”, na verdade públicos, do ex-diretor Paulo Roberto Costa e do megadoleiro Alberto Youssef.

As gravações dos depoimentos de Paulo Roberto e Youssef não estavam protegidas por sigilo, como a própria Justiça já esclareceu.

Os advogados do PT tentam construir a alegação de que o juiz “beneficiou” a oposição, ao autorizar a divulgação dos depoimentos.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

FHC convoca população para ato em favor de Aécio e contra a 'podridão no Brasil'










Tucanos divulgaram vídeos chamando a população para participar de atos marcados pela internet que tentam explorar a indignação dos protestos de junho de 2013

Advogado de Youssef nega que ele tenha operado para o PSDB, desmente depoimento de ex-laranja de doleiro e pede acareação


Por Ricardo Brandt e Fausto Macedo, no Estadão. Volto no próximo post:

A defesa de Alberto Youssef informou que vai apresentar ainda nesta quarta feira, 22, à Justiça Federal em Curitiba (PR) um pedido de impugnação do depoimento de Leonardo Meirelles – suposto testa de ferro do doleiro nas indústrias farmacêuticas Labogen. Em depoimento na segunda feira, 20, Meirelles afirmou que ele mantinha negócios com o PSDB e com ex-presidente nacional do partido senador Sérgio Guerra (PE), morto em março. O criminalista Antônio Figueiredo Basto, que defende Youssef, disse que pedirá ainda uma acareação entre os dois – o doleiro e Meirelles são réus em um dos processos da Operação Lava Jato, sobre superfaturamento nas obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. “Meu cliente afirma peremptoriamente que nunca falou com Sérgio Guerra, nunca teve negócio com ele e nunca trabalhou para o PSDB”, afirmou o criminalista Antônio Figueiredo Basto. “Estamos pedindo uma impugnação do depoimento do Leonardo e uma acareação entre eles.”

Meirelles é apontado como laranja de Youssef no laboratório Labogen, indústria de remédios que estava falida e que o doleiro usou para tentar conquistar um contrato milionário com o Ministério da Saúde, na gestão do então ministro Alexandre Padilha, para fornecimento de medicamentos. Segundo o Ministério, o contrato não chegou a ser assinado. O negócio teria sido intermediado, segundo a PF, pelo deputado federal André Vargas (sem partido-PR), que foi flagrado usando um jato pago pelo doleiro. Meirelles afirmou à Justiça Federal, em audiência da segunda feira, 20, que Youssef trabalhava também com o PSDB, além dos partidos PT, PMDB e PP. Ele disse ter ouvido o doleiro citar o nome de Guerra em uma conversa telefônica e ainda citou “um outro parlamentar” tucano da mesma região do doleiro.

Alguma coisa não está batendo no DATAFOLHA


Vejam os números da pesquisa divulgada em (20/10) por região:

Região Sul : Aécio 61% - Dilma 39%                      Região Sudeste : Aécio 59% - Dilma 41%

Região Centro-Oeste : Aécio 63% - Dilma 37%       Região Nordeste : Aécio : 32% - Dilma : 68%

Região Norte: Aécio : 44% - Dilma : 56%

Segundo o TSE o número de eleitores por região é :


Região Sul : 20.825.700 

Aécio 61% : 12.703.677                                                                 Dilma 30% : 8.122.023


Região Sudeste : 60.968.400

Aécio 59% : 35.971.356                                                                 Dilma 41% : 24.997.044

Região Centro-Oeste : 10.081.500

Aécio 63% : 6.351.345                                                                   Dilma 37% : 3.730.155


Região Nordeste : 38.225.100

Aécio 32%: 12.233.032                                                                  Dilma 68% : 25.993.068


Região Norte : 10.659.600

Aécio 44% : 4.690.224                                                                   Dilma 56% : 5.969.376


TOTAL: AÉCIO : 71.949.634 (51,2 %)                                            DILMA : 68.811.666 (48,8%)


Esta é a verdade ! Dados tirados da própria pesquisa !!!

CPI: Oposição tentará convocar Gleisi e Vaccari


Sérgio Lima/FolhaA CPI mista da Petrobras reúne-se nesta quarta-feira (22). Os partidos de oposição —PSDB, PPS, DEM e Solidariedade— tentarão aprovar durante a sessão requerimentos de convocação de dois petistas ilustres: a senadora e ex-ministra Gleisi Hoffmann e o conselheiro de Itaipu e tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Gleisi e Vaccari foram mencionados em depoimentos de investigados na Operação Lava Jato. O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa contou em sua delação premiada que Gleisi recebeu R$ 1 milhão em verbas desviadas da estatal para sua campanha em 2010. Ela nega.

Quanto a Vaccari, Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef disseram em ação penal pública que era ele o operador do PT no esquema que desviava 3% sobre o valor dos contratos celebrados pela Petrobras com grandes fornecedores e prestadores de serviços. Ele também nega.

O noticiário trouxe à luz também o nome do ex-presidente do PSDB federal, Sérgio Guerra. Ele foi acusado de receber propinas de R$ 10 milhões para ajudar a sepultar uma CPI petroleira de 2009. Para ventura da oposição, Guerra não pode ser convocado. Morreu há sete meses.

A oposição fará barulho. Mas é improvável que consiga aprovar os dois requerimentos —sobretudo numa sessão que acontecerá a quatro dias da eleição presidencial. Os operadores políticos do conglomerado governista se equipam para evitar constrangimentos à campanha de Dilma Rousseff. A forma mais simples é sonegando o quórum exigido para deliberação.

Antes de discutir o que fazer com os requerimentos, a CPI vai inquirir, a partir de 14h30, José Carlos Cosenza. Ele é diretor de Abastecimento da Petrobras. Assumiu o posto em 2012, depois da saída de Paulo Roberto Costa, hoje um corrupto confesso.

Deve-se a convocação de José Cosenza aos deputados Rubens Bueno (PPS-PA) e Carlos Sampaio (PSDB-SP). Os dois mencionaram em seus respectivos requerimentos reportagens que levantaram suspeitas em relação ao substituto de Paulo Roberto.

Numa, noticiou-se que o hoje delator teria mantido os negócios escusos na Petrobras com o auxílio do sucessor, que nega. Noutra, revelou-se o teor de mensagem trocada pelo deputado Luiz Argôlo (SD-BA) com Alberto Youssef. Nela, o parlamentar pede ao doleiro que marque um encontro com Cosenza.

Blog do Josias

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Protógenes condenado


Protógenes tempos difíceisTerminou há pouco no STF o julgamento de Protógenes Queiroz, acusado de desmandos na condução da Operação Satiagraha.

Protógenes foi condenado por unanimidade a dois anos e seis meses de prisão, que pode ser trocada por serviços comunitários.

E mais: perderá o que lhe resta de mandato (que o povo de São Paulo acertadamente cassou pelo voto no último dia 5) e está inelegível por oito anos.O STF encaminhará à Câmara um pedido de cassação imediata do mandato.

Protógenes perde também o posto de delegado da PF.

Não cabe recurso.

Antes de o julgamento começar, Protógenes tentou o impedimento de Gilmar Mendes, mas o ministro não compareceu.

Por Lauro Jardim

Alto endividamento faz Moody's rebaixar nota da Petrobras


Agência de classificação de risco mantém a perspectiva negativa para a empresa cuja dívida ultrapassa 300 bilhões de reais

De mal a pior - Petrobras

A agência de classificação de risco Moody's rebaixou o rating global em moeda estrangeira e local da Petrobras de Baa1 para Baa2, e manteve a perspectiva negativa. Segundo a agência, o rebaixamento reflete o alto endividamento da estatal e a visão de que ele vai diminuir significativamente apenas depois de 2016. Entre os principais agravantes do endividamento estão as pressões negativas sobre os preços do petróleo e sobre o real, assim como os altos compromissos de investimentos. O endividamento da empresa ultrapassa 300 bilhões de reais, segundo o último relatório de resultados. 

"Embora a Petrobras tenha sido relativamente bem-sucedida na execução de seu ambicioso programa de capital e tenha atingido metas de produção agressivas, a alavancagem continua crescendo em 2014, tendo em vista principalmente sua incapacidade de repassar os custos relacionados aos derivados de petróleo importados, à desvalorização da moeda local e ao agressivo programa de investimentos", afirmou Nymia Almeida, da Moody's.

Os ratings da Petrobras poderão ser rebaixados ainda mais se o aumento do endividamento for sustentado por uma proporção entre dívida e Ebitda acima de 5 vezes ou se o crescimento da produção cair abaixo das metas, segundo a Moody's. Um rebaixamento do rating soberano do Brasil também pode pressionar a classificação da empresa.

A agência afirmou que não vê uma elevação dos ratings da Petrobras no curto a médio prazo. "No longo prazo, porém, poderá haver uma elevação se houver redução da alavancagem e um aumento na produção lucrativa e nas reservas, em conjunção com um rating soberano mais alto."

Desde 2012 os aumentos do valor do barril no mercado internacional não são integralmente repassados pela Petrobras aos consumidores, num intento do governo de frear o avanço da inflação. Apenas em 2014, o prejuízo da área de Abastecimento, que controla as importações de gasolina, chega a 7 bilhões de reais. A estatal deixou de ganhar 45 bilhões de dólares desde 2012 devido ao congelamento de preços da gasolina, segundo levantamento do CBIE.